Portifólios

ARTISTAS INDEPENDENTES DE BRASÍLIA

Este Trabalho de Conclusão de Curso se trata de um projeto experimental, apresentado como requisito de Bacharel ao curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda do Centro Universitário de Brasília, sendo um documentário em vídeo arte que relata um pouco dos valores de pessoas que vivem de forma alternativa em Brasília.

ARTISTAS INDEPENDENTES DE BRASÍLIA

Este Trabalho de Conclusão de Curso se trata de um projeto experimental, apresentado como requisito de Bacharel ao curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda do Centro Universitário de Brasília, sendo um documentário em vídeo arte que relata um pouco dos valores de pessoas que vivem de forma alternativa em Brasília.

Geração Y

Trabalho realizado para o estgágio supervisionado do curso de Publicidade e Propagando do UNICEUB

Geração Y

Trabalho realizado para o estgágio supervisionado do curso de Publicidade e Propagando do UNICEUB
Poder360 | Notícias do poder e da política. Editado por Fernando Rodrigues, com Tales Faria e equipe

Poder360 | Notícias do poder e da política. Editado por Fernando Rodrigues, com Tales Faria e equipe

Notícias do poder e da política. Editado por Fernando Rodrigues, com Tales Faria e equipe
Poder360 | Notícias do poder e da política. Editado por Fernando Rodrigues, com Tales Faria e equipe

Poder360 | Notícias do poder e da política. Editado por Fernando Rodrigues, com Tales Faria e equipe

Notícias do poder e da política. Editado por Fernando Rodrigues, com Tales Faria e equipe

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...

"Jeremias: Pele" é um quadrinho lúdico, mas dolorosamente realista

Eu sou bastante fã do projeto Graphic MSP desde quando eu li Astronauta: Magnetar de Danilo Beyruth pela primeira vez, lá em 2012, pouco depois que saiu. A iniciativa de fazer uma releitura dos quadrinhos da Turma da Mônica sempre me atraiu bastante, mas essa atração (e satisfação, por consequência) nunca foi tão forte como foi...